Diário de um Náufrago

cabeçalho01“Os registos que possuímos são muito vagos, dispersos… na maioria dos casos, não nos servem de muito em matéria de elucidação. O que terá acontecido realmente naquele espaço de tempo (quanto? dias, meses, anos? que interesse tem?).                                Poucas coisas sabemos em concreto sobre o nosso náufrago. As suas inúmeras anotações – das quais cremos ter acesso a apenas um número extremamente reduzido – não esclarecem nem procuram esclarecer o que se terá passado. São apontamentos ensimesmados, notas soltas, diálogo mantido consigo mesmo. Por vezes, temos a sensação de que nos despista propositadamente.         cabeçalho02  (…)Acreditamos, contudo, ser possível discernir a lógica das suas acções, dos seus gestos. Reunimos todo o tipo de especialistas e estudiosos da matéria. Conjecturamos inúmeras cartografias – percursos, acidentes, situações. Foram realizados grandes progressos.                                                                                                                         (…) Ambos os métodos são semelhantes. Para nos aproximarmos das suas cogitações, vimo-nos na obrigação de imitar os seus gestos. Simultaneamente detectives e criminosos, responsáveis pela criação do problema e sua resolução. Espalhamos as pistas que incrédulos recolhemos.                                                                                                Estamos atentos à atenção.cabeçalho03(…) Há dias totalmente inúteis. Os nossos apontamentos misturam-se com os originais. No dia de ontem, todo o mistério resolvido à custa de uma cópia mal resolvida.          (…) A análise a estes registos induz-nos continuamente em erro. Toda a espécie de cálculo e dedução é inútil. Não existe verificação possível. Estivemos, durante muito tempo, a correr atrás da própria cauda em volta de uma mesa. Desistimos.“

hojevista02

por aqui ontem mesmo

vai chover  trilho

001 002   003

004  005 meia noite

ainda é cedol  ainda é cedoIII

cortina  foi ontem

pau01 pau02

janela amanhã14 destroço

dia noite

lá está  blocos

bravoponto de vista  quando

espelho fim de tarde  edifício reconhecimento

outrora  rio

reconstituição  poço

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s